Banner

Banner

sábado, 29 de julho de 2017

Mulheres são baleadas durante assalto a ônibus em Caçador


 Duas pessoas ficaram feridas em um assalto a ônibus ocorrido durante a madrugada deste sábado (29) na SC-350, Distrito de Taquara Verde, em Caçador. As duas mulheres feridas foram atingidas na cabeça por tiros disparados pelos assaltantes. Os 42 passageiros ficaram mais de uma hora trancados no bagageiro do ônibus, que pertence à empresa Catarinense. O crime ocorreu depois da meia-noite.
 Segundo informações, os bandidos emparelharam um carro, efetuaram diversos disparos contra o ônibus, que parou em uma vegetação às margens da rodovia. Os criminosos adentraram no ônibus, fizeram os passageiros ficar só com as roupas íntimas, roubaram dinheiro e trancaram as vítimas no bagageiro.
 “Eles mandaram todo mundo descer e a tirar as malas, e fizeram a revista. Fecharam a gente no bagageiro, onde ficamos mais de uma hora e meia trancados até conseguimos abrir por dentro e sair”, conta o motorista, Marcolino Klein, 62 anos, que foi assaltado pela segunda vez nesse trecho.
 O condutor do ônibus, que fazia a linha Florianópolis/Assunção (Paraguai), trouxe os passageiros para Caçador. O veículo parou na rodoviária por volta das 3h, quando a Polícia Militar foi acionada. As vítimas foram socorridas pelo SAMU e Bombeiros Voluntários.
 Simone Alves Martins, 44 anos, que levou um tiro de raspão na cabeça, relata como ocorreu o crime. “Eu estava dormindo e quando percebi já tinha sido atingida. Eles entraram no ônibus, mandaram a gente colocar a mão na cabeça e não olhar. Foi o que fizemos. Fiquei mais tranquila quando descobri que foi apenas um ferimento superficial, mas passou mil coisas na minha cabeça. Só pedia a Deus para iluminar a gente. É algo que nunca mais irei esquecer na minha vida”, conta a moradora de Rio do Sul, que teve apenas ferimento leve.
 A outra vítima foi levada ao hospital para atendimento médico e, até o momento, não há informações sobre o seu estado de saúde. Segundo testemunhas, o projétil possivelmente estava alojado na cabeça.
 De acordo com as vítimas, os bandidos estavam armados com armas curtas, usavam toucas balaclava para cobrir o rosto e possuíam radiocomunicadores sintonizados na frequência da polícia.
 Após a comunicação do crime, a Polícia Militar de Caçador esteve na rodoviária, coletou informações e realizou buscas pelos criminosos. A Polícia Civil também foi informada e está investigando o crime.
 Só queriam dinheiro
 A passageira Gisela, 59 anos, que saiu de Indaial e ia para a Argentina, relata que os criminosos só queriam dinheiro. “Eles queriam somente dinheiro, não queriam celular, nada disso. Só dinheiro. Eu perdi R$ 3 mil. Falaram que se achassem alguma nota escondida iriam nos matar. Colaboramos e entregamos tudo. Nunca passei por isso. Foi um pesadelo”, disse.
 Qualquer vacilo era morte na certa
 Sônia, 70 anos, achou que iria morrer nesta noite. “Estava tudo tranquilo, tínhamos saído da janta e quase todo mundo já estava dormindo. De repente ouvimos uns estalos. Um menino disse que era tiro, aí não teve mais jeito: entrou um homem de balaclava, mandou a gente ficar só de calcinha e sutiã, e se tivéssemos dinheiro escondido iriam matar a gente. Ficamos sem reação. Eu rezei muito. Pedi a Deus que perdoasse a minha alma porque a gente ia morrer. Estavam muito nervosos com as armas nas mãos, qualquer vacilo era morte na certa. Então fomos trancados no bagageiro e quando já estávamos ficando sem ar e o motorista conseguiu abrir e saímos”, comenta.

Caçador Online