Banner

Banner

domingo, 30 de julho de 2017

Vettel vence na Hungria com dobradinha da Ferrari. Hamilton com grande gesto de fair-play

 Destaque para Hamilton que, na derradeira curva, ´deu` o terceiro lugar ao colega Bottas, num bonito gesto de fair-play.



 Sebastian Vettel venceu o Grande Prémio da Hungria em Fórmula. O piloto da Ferrari saiu da pole position e acabou em primeiro, apesar dos muitos problemas que teve com a direção do seu carro. Raikkonen foi segundo e deu a dobradinha para a Ferrari. Destaque para Hamilton que, na derradeira curva, ´deu` o terceiro lugar ao colega Bottas, num bonito gesto de fair-play.

 O filme da corrida

 Os treinos livres e a qualificação faziam antever que este não seria uma corrida fácil para os Mercedes. Bottas largou da terceira posição, atrás dos Ferraris de Kimi Raikkonen e Sebastian Vettel, com Lewis Hamilton a largar da 5.ª posição, à frente do Red Bull de Verstappen.
 E viria a ser ´Mad` Max Verstappen a provocar o primiero incidente, ao colodir com o carro de Daniel Ricciardo, seu colega de equipa, obrigando este a fazer um peão e a cair para último. O australiano haveria de desistir, com dados no seu monolugar, e voltou a box visivelmente irritado. Entrou em cena o ´safety car` o que levou a um novo reagrupamento do pelotão. O jovem holandês sofreu uma penalização de dez segundos.
 No arranque da prova, Vettel ganhou vantagem em relação a Raikkonen mas a partir da volta 25 o alemão começou a ter problemas com a direção do seu monolugar, e a perder tempo, o que permitu a aproximação do seu colega de equipa. A partir da 30.ª volta os pilotos da frente fizeram a sua troca de pneus (de supermacios para macios), com Hamilton a ganhar vantagem sobre Bottas que demorou mais tempo na troca. O inglês vinha a perder tempo porque esteve várias voltas sem comunicação rádio, o que o impediu de saber o que fazer em pista. Quando voltou a comunicação, confessou que gostaria de ter ficado mais tempo em pista já que estava a sentir-se bem com o comportamento dos pneus.
 Depois de todas paragens dos da frente (menos Verstappen, que liderou até a 40.ª volta), Raikkonen aproveitou para aproximar-se ainda mais de Vettel que vinha a ter muitos problemas. Nesse entretanto, o alemão já tinha perdido parte da vantagem que chegou a ter para Hamilton (chegou a ter 13 segundos de vantagem) e também para Bottas. Os Mercedes estavam melhores com os pneus macios e forçavam ao máximo para tentar apanhar os Ferraris.
 Na volta 46 a Mercedes deu ordens a Bottas para deixar passar Hamilton, já que esteve estava mais rápido. O inglês foi encurtando tempo e rapidamente colou-se à traseira de Kimmi mas sem conseguir ultrapassar o finlandês. Chegou a ter várias situações de DRS mas nunca conseguiu estar a menos de meio segundo de Kimi Raikkonen. A equipa deu-lhe cinco voltas (e depois mais cinco) para ultrapassar o homem da Ferrari ou então teria de devolver a posição ao seu colega de equipa. Mas o inglês teve de desistir quando faltavam dez voltas para o final para poupar pneus e chegar até ao final da prova. Nesse entretanto já Vettel tinha ´acordado` e ganho alguma vantagem sobre Kimi Raikkonen na frente, que também estava mais descansado, já sem Hamilton a persegui-lo como vinha a fazer.
 A questão que se punha na Mercedes era se Hamilton tinha de abrandar e devolver a posição a Bottas mas o aproximar de Verstappen, que tinha melhores pneus, inviabilizou o acordo. O jovem holandês estava mais rápido que os dois Mercedes, pelo que era importante para a equipa ter pelo menos um piloto no pódio. E era Hamilton quem estava na melhor posição.
 Até ao final Vettel conseguiu aguentar Raikkonen e venceu o Grande Prémio da Hungria, dando assim a dobradinha para a Ferrari. Hamilton terminou em quarto porque na derradeira curva do circuito devolveu o terceiro lugar a Bottas que assim subiu ao pódio. Verstappen foi 5.º. Destaque para os dois McLaren-Honda que terminaram nos dez primeiros. Fernando Alonso fez mesmo a melhor volta do circuito. 




Sapodesporto