Banner

Banner

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

De SC rumo América Latina de VW Fusca


 Jesse Koz, 24 anos, e o golden retriever Shurastey (em alusão a música Should I Stay or Should I Go, do The Clash) estão na estrada há 96 dias. Os dois partiram de Balneário Camboriú e percorrem a América Latina a bordo do fusca 1978 batizado de Dodongo. A aventura começou no dia 5 de maio e, desde então, já foram mais de 13 mil quilômetros rodados em quatro países: Brasil, Chile, Uruguai e Argentina. 

 Jesse, que é natural de Curitiba, mas mora em Balneário Camboriú desde os 17 anos, conta que sempre teve vontade de viajar pelo mundo, mas ficava preso ao trabalho e aos compromissos: 

 — Eu trabalhava há sete anos como vendedor em um shopping e estava extremamente infeliz. Foi quando entrei em um grupo de mochileiros no Facebook e li o relato de pessoas que pegavam a estrada sem nada: a pé, de bike, cavalo... 

 O dia a dia na estrada não é fácil, o fusca Dodongo já é praticamente um motorhome. Pelo Instagram, é possível acompanhar a rotina da dupla, que muitas vezes dorme e se alimenta dentro do carro. 

 Também são compartilhadas histórias das pessoas que conviveram com os dois ao longo do caminho, como o Lucas, o argentino que pegou carona por mais de mil quilômetros, ou Almendra, a atendente da conveniência de um posto que abrigou os viajantes em sua casa. 

 Com bom humor, Jesse relembra as aventuras que passou ao longo da viagem, como o dia em que Shurastey foi assustado por cavalos em uma fazendo no Brasil e sumiu por cerca de três quilômetros ou quando o gelo congelado cedeu, em El Calafate, na Patagônia, e o golden caiu no rio. 

 Ao longo da jornada, os dois receberam a ajuda dos amigos e seguidores das redes sociais, que participaram de um financiamento coletivo para contribuir com a viagem. 

 Agora, saindo de Córdoba, na Argentina, a caminho do Brasil, Jesse explica que já tem planos e, apesar da saudade das praias de Santa Catarina, não pretende ficar muito tempo parado: 

 — Vou parar um pouco para arrumar o fusca, que está judiado depois de 13 mil quilômetros entre estradas de barro, pedra e gelo. Depois, seguimos para o Norte do Brasil, quero conhecer o país. Vamos passar novos perrengues, enfrentar os problemas, os desafios, vencer e viajar. Vamos conhecer todos os países da América do Sul e depois, sei lá... talvez vamos para o Alaska!

Diário Catarinense