Banner

Banner

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Imagens flagraram um PM agredindo adolescente com pedaço de pau no Sul de SC

 Um vídeo gravado no último sábado (5) em Balneário Rincão, no Sul de Santa Catarina, flagou um policial militar agredindo com um pedaço de pau um adolescente de 14 anos, como mostrou o RBS Notícias desta quarta (9). O comandante da PM na região,disse que a corregedoria está investigando a agressão para identificar os policiais envolvidos na abordagem.

 O garoto contou à RBS TV que foi abordado na rua e apanhou sem motivo. Ele não quis gravar entrevista. Nas imagens, feitas por um morador do bairro Mirassol (veja acima), o adolescente aparece com as mãos em um muro enquanto é golpeado seis vezes nas costas pelo policial.

 Mães de adolescentes do mesmo bairro têm registrado boletins de ocorrência denunciando agressões policiais sofridas pelos filhos."Tenho medo do que pode acontecer, porque falaram que vão matar ele, vão matar a família", disse uma mãe.
Outra diz que o filho também foi agredido. "Está sendo ameaçado. Eles não saem mais de casa por causa da Polícia. Pegam e vão espancando, botam eles de joelho no cascalho".

 O que diz a PM

 O comandante da Polícia militar de Içara, responsável pelos policiais de Balneário Rincão, disse que a corregedoria está investigando a agressão do último sábado para identificar os policiais. "No final desse processo, pode decorrer uma penalidade administrativa a esses policiais. Se constatados indícios de crimes militares, eles também responderão na esfera criminal. Aí esse procedimento sobe para a auditoria da Justiça Militar e eles poderão ser processados e julgados", disse o tenente-coronel Darci Rodrigues.

 O comandante disse ainda que desde que assumiu o grupamento, há um ano e meio, tem apurado outras denúncias, mas, por falta de provas, nenhum policial foi afastado. "Esse tipo procedimento não é, de maneira nenhuma, determinado pela nossa instituição. Nós zelamos pelo nome da Polícia Militar. Existe um protocolo de ação que deve ser cumprido. Nossos policiais são orientados para tal Ninguém vai para a rua para cometer abusos e omissões", disse o comandante da região.
 A investigação tem prazo de 30 dias pra ser concluída. 




G1  SC