quarta-feira, 6 de outubro de 2021

Criador de saguis de Xanxerê processa Luisa Mell e pede R$ 50 mil de indenização

FOTO: Reprodução site Lance Notícias

 


Luisa Mell foi acionada na Justiça por um criador de saguis da cidade de Xanxerê, em Santa Catarina. Ele decidiu processar a ativista da causa animal após tomar conhecimento de um vídeo postado pela apresentadora no Instagram no dia 22 de agosto de 2021.

Na ação, protocolada na última sexta-feira (1), que corre na 33ª Vara Cível da Comarca de São Paulo, o profissional afirma que a postagem de Luisa é “inverídica e atentatória à sua dignidade”, e que ela “propaga a informação de maneira odiosa, sem fundamento técnico e jurídico”. Proprietário de um criadouro legalizado e autorizado pelas autoridades ambientais competentes, o vídeo em questão ofenderia a sua personalidade e sua boa fama, lhe causando danos de ordem moral, financeira e psicológica. Ele pede uma indenização de R$ 50 mil por danos morais.

Ele afirma, ainda, que há anos trabalha para a preservação da fauna e das espécies que cria em seu estabelecimento, que os saguis que mantém em seu criadouro possuem origem do próprio Ibama e órgãos ambientais estaduais, que são quem fornecem a ele. Inclusive, por meio de seu criadouro, estaria auxiliando no combate ao tráfico de animais.

“O prêmio é um sagui? Eu não podia acreditar, mas era real. A foto não me deixava dúvida, eles realmente vão sortear um macaco? Foi quando eu resolvi ir até o perfil do responsável”, diz um trecho do vídeo que Luisa Mell teria publicado sobre o profissional.

Ele explica à Justiça que desenvolve um trabalho de conscientização sobre a compra legal e lícita dos animais e que sua atividade possibilita que pessoas possam ter um contato mais íntimo com o meio ambiente e a realizarem o sonho de terem um sagui como companhia.

Para o criador de saguis, Luisa Mell expôs o profissional e seu criadouro “de forma irresponsável e com ataques ilegítimos, sem ao menos conhecer de seu trabalho e sua importância”. O profissional teria proporcionado ao meio ambiente local [Xanxerê] a criação de três áreas de proteção da biodiversidade, contribuindo para a fauna e para a flora local. Além do valor da indenização, há, ainda, um pedido para que seja feita uma retratação. O profissional também acionou o Facebook.

Vilson Zarembski, comentou ao Lance Notícias a respeito do ocorrido:

– Nunca fui tão humilhado em minha vida, a Ré me expôs, como se eu fosse um carrasco da natureza, ofendendo diretamente a minha personalidade e minha fama, fomentando com isso um grande discurso de ódio, tanto dela como de seus seguidores, me comparando como se eu fosse um bandido, como um traficante de animais silvestres, que com minha criação, eu causasse um mal terrível aos animais, além de expor minha imagem e de minhas filhas. Sou Criador, qual o problema em eu querer presentear um de meus seguidores, anualmente? Qual a diferença entre eu vender ou sortear um sagui? O Sagui é meu, se eu quiser doar eu dou, o problema é meu, eu é que simplesmente vou deixar de ganhar o valor da venda de um sagui, porém qual o problema em eu sortear um sagui, como recompensa e gratidão aos que me seguem o ano inteiro? Meu trabalho é feito com amor, zelando pelo direito das pessoas em adquirirem legalmente seus saguis, sem infringirem a lei, com isso ajudo a controlar o tráfico ilegal de animais silvestres – comenta.

 

Claudério Augusto via site Lance Notícias, com informações site O Dia