segunda-feira, 9 de janeiro de 2023

Jogador do Irã se livra de pena de morte, mas vai cumprir 26 anos de prisão por defender mulheres

Amir Nasr Azadani participou de protestos em novembro do ano passado e enfrenta acusações judiciais. Foto: REPRODUÇÃO/TWITTER - R7



O jogador iraniano, Amir Nasr Azadani teve sua setença definida após lutar de maneira ativa na defesa dos direitos humanos e liberdades para as mulheres no Irã. O jogador, que poderia ser condenado à pena de morte por enforcamento, vai cumprir 26 anos de prisão.

A acusação aconteceu após Azadani comparecer a protestos que contestavam a morte de Mahsa Amini e terminaram na morte de três policiais. Diversas personalidades do futebol internacional, incluindo o FIFPro, sindicado dos jogadores profissionais de futebol, se posicionaram contra.

Além da sentença do jogador, outros três réus foram condenados à morte pelo assassinato dos militares islâmicos. Uma quarta pessoa envolvida pegou sentença de dois anos.

Sentenças concomitantes

De acordo com a agência iraniana Mizan, o jogador foi condenado a 16 anos de prisão por cumplicidade no assassinato de três oficiais, cinco por reunião e conluio para cometer crimes e mais cinco por ser membro de grupos ilegais com a intenção de perturbar a segurança pública. Porém, ele cumprirá as sentenças ao mesmo tempo, o que significa que, em princípio, passará 16 anos na prisão.

Amir Nasr-Azadani tem contrato Iranjavan FC, do irã. O atleta, que se profissionalizou em 2015 no futebol, já vestiu a camisa de outros três clubes locais.



Claudério Augusto via site R7