segunda-feira, 8 de agosto de 2022

Lamborghini de Collor deve mais de R$ 1 milhão de IPVA

 

Foto: Reprodução via site El País

Lamborghini Aventador de Collor na Casa da Dinda. Foto: Reprodução site Terra


O Lamborghini Aventador Roadster do ex-presidente Fernando Collor de Mello é um  dos carros mais polêmicos do Brasil. O modelo italiano já foi notícia em várias ocasiões, por ter sido apreendido numa ação da Polícia Federal na Operação Lava-Jato. Agora, o carro volta a ganhar as manchetes devido a uma dívida milionária de IPVA.

Segundo reportagem de Alessandro Reis no UOL, o Lamborghini Aventador de Collor acumula débitos de R$ 1.193.217 no IPVA de São Paulo, por ter caído na dívida ativa do Estado, devido ao não pagamento dos tributos referentes a 2016, 2017, 2018, 2020 e 2021. O IPVA de 2022, no valor de R$ 106.949 (incluindo acréscimos legais de R$ 23.717) também está em atraso.

O Lamborghini Aventador Roadster 2013/2014 tem valor estimado de R$ 3,36 milhões, segundo a Tabela Fipe. Portanto, o carro já deve mais de um terço do que vale. Ele está licenciado em nome da empresa Água Branca Participações, que tem sede em São Paulo. Collor é um dos sócios.

Em 2015, o carrão do ex-presidente foi apreendido pela Polícia Federal na Casa da Dinda (residência de Collor em  Brasília) numa ação da Operação Lava-Jato. O carro foi apreendido por suspeita de ter sido comprado com dinheiro advindo de práticas criminosas, junto com outros dois modelos de luxo: um Ferrari 458 Italia 2011 e um Porsche Panamera 2012.

Todos os carros, entretanto, foram devolvidos a Collor ainda naquele ano, por decisão do STF (Supremo Tribunal Federal). No ano seguinte, o Bradesco solicitou à Justiça nova apreensão do carro, por falta de pagamento. Mas, segundo o UOL, houve um acordo com o banco e o carro foi mantido.


Claudério Augusto via site Terra


Como dizem alguns:

fácil é ter, difícil é manter! 


Isso é falta de dinheiro ou descompromisso?