sexta-feira, 24 de maio de 2024

Esteticista é morta e enterrada em chão da cozinha em Palhoça; família alega tortura

Morte de Michele é investigada como feminicídio – Foto: Reprodução/ND

A esteticista Michele de Abreu Oliveira, de 42 anos, foi encontrada morta enterrada no chão da cozinha da própria casa, em Palhoça, nesta quarta-feira (22). Desaparecida há nove dias, a Polícia Civil trabalha com a hipótese de feminicídio e investiga o ex-companheiro da vítima.

O caso foi apurado com exclusividade pela produtora Patricia Mello e pela repórter Suzan Rodrigues, do programa Cidade Alerta.

O caso é investigado pela DPCAMI (Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso) de Palhoça.

De acordo com a delegada Gisele de Faria Jerônimo, responsável pelo caso, o caso é investigado como feminicídio, e por isso, o ex-companheiro da esteticista é um dos suspeitos. No entanto, outras modalidades de crime não estão descartadas.

Conforme apurado pelo Cidade Alerta, Michelle morava há mais de uma década em uma casa nos fundos de um terreno com cinco residências, localizado na Praia de Fora, em Palhoça.

Esteticista tinha relação conturbada com ex, com quem morava junto

Na casa de dois pisos moravam ela, o ex-companheiro e o filho caçula, de 15 anos. De acordo com familiares, mesmo separados há quatro anos, a esteticista ainda morava com o ex, com quem tinha uma relação conturbada.

Michelle teria registrado um boletim de ocorrência por violência doméstica em abril e, segundo a família, era constantemente ameaçada de morte.

Segundo a delegada responsável pelo caso, o paradeiro do homem e do filho caçula ainda não é conhecido pela polícia. De acordo com a PMSC (Polícia Militar de Santa Catarina), o homem possuí 94 boletins de ocorrência.

Esteticista foi encontrada em estado de putrefação e com marcas de tortura, afirma família

A identidade de Michelle foi confirmada na manhã desta quinta-feira (23), pela Polícia Científica.

Familiares afirmaram ter ido até o Instituto Médico Legal, no Itacorubi, onde foram informados pela perícia que a esteticista teria sido encontrada em estado de putrefação e com marcas de tortura. A causa da morte teria sido traumatismo cranioencefálico.

A delegada afirma que a polícia encontrou o corpo de Michele quando foram cumprir um mandado de busca e apreensão na casa dela. A esteticista foi encontrada embaixo do piso da cozinha por volta das 19h30 desta quarta.

“Ela estava enterrada no piso inferior da residência, em um cômodo que parecia uma cozinha, um anexo de uma cozinha. Tinha pia, mesa era um cômodo fechado. Ela [Michele] estava camuflada sob o piso dessa cozinha. Quando os policiais chegaram no cômodo, perceberam que tinha algo estranho”, detalha a delegada.


Claudério Augusto com informações via site ND Mais
Link da notícia no site ND Mais: CLIQUE