Banner

Banner

terça-feira, 26 de julho de 2016

Santa Catarina soma quatro casos de chikungunya e sete de zika vírus contraídos dentro do Estado




 Apesar do ritmo mais lento em função do período de frio, casos de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti continuam sendo confirmados em SC. No boletim divulgado nesta terça-feira pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC (Dive-SC) foram quatro casos contraídos dentro do Estado de febre chikungunya e sete dezika vírus. No total, são 72 infectados por chikungunya e 52 por zika em SC, considerando os casos importados. 
 Entre os dias 9 e 23 de julho, sete novos casos de dengue foram confirmados em Santa Catarina. Destes, três são autóctones, dois são importados e dois estão em investigação de local provável de infecção. Desde o início do ano, o Estado contabiliza 4.313 casos, sendo 3.954 autóctones. O Estado registrou neste ano duas mortes por dengue grave no Estado.
 O município de Pinhalzinho apresenta o maior número de casos autóctones (2.411) no Estado, com uma taxa de incidência de 12.895, 8 casos por 100 mil habitantes. Além de Pinhalzinho, Serra Alta possui uma taxa de incidência de 4.498,8 casos por 100 mil habitantes, Bom Jesus 2.977,7 por 100 mil habitantes, Coronel Freitas 1.548,9 casos por 100 mil habitantes, Descanso 1022,9 casos por 100 mil habitantes, Modelo 455,7 casos por 100 mil habitantes, Chapecó 379,5 casos por 100 mil habitantes e União do Oeste 333,3 casos por 100 mil habitantes. A Organização Mundial da Saúde (OMS) define o nível de transmissão epidêmico quando a taxa de incidência é maior de 300 casos de dengue por 100 mil habitantes.

Em Santa Catarina, até agora, o número de casos notificados de dengue (12.753 casos) está acima do registrado no mesmo período em 2015 (9.805 casos), representando um aumento de 23%. Em relação aos focos do mosquito Aedes aegypti, em 2016, foram identificados 6.101 focos, em 131 municípios. Neste mesmo período em 2015, tinham sido identificados 5.454 focos em 109 municípios.
Atualmente há 49 municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti. Em comparação ao último boletim, houve a inclusão dos municípios de Campo Erê e São Carlos.
Os dados apresentados nesse último boletim estão sendo analisados no IV Encontro Estadual de Supervisores do Programa de Controle da Dengue, que acontece entre os dias 26 e 28 de julho, em Balneário Camboriú. O evento tem por objetivo analisar a situação de Santa Catarina frente ao Aedes aegypti e às doenças transmitidas por esse mosquito. 

— Nossa meta é avaliar o cenário dessas doenças no estado, planejando e discutindo ações que serão realizadas, no intuito de reduzir o risco de epidemias de dengue, febre de chikungunya e febre do zika vírus na próxima temporada — afirma João Fuck, coordenador do programa de controle da dengue em Santa Catarina. 

O encontro é dirigido aos biólogos e os supervisores dos programas de controle da dengue regionais. 
ClicRBS

Elucidado duplo homicídio registrado em Palma Sola

 De acordo com o delegado responsável pelo caso, Claudir Stang, o autor dos disparos que terminou em duplo homicídio, de um homem de 27 e um adolescente de 17 anos, seria um empresário de Palma Sola.
 O crime foi elucidado no final de semana, após averiguação nas imagens do monitoramento.
 O autor confessou o crime e contou que dormia com a família na madrugada de sexta-feira (22) quando ouviu barulhos em seu estabelecimento, saindo na perseguição dos cinco suspeitos. Porém, três deles fugiram e os dois que permaneceram estariam exaltados e chegaram a ameaçar o homem com uma faca. Como ele estava armado, acabou disparando contra a dupla, cometendo os homicídios.
 O delegado ressalta que a arma do crime é uma pistola Taurus 380, devidamente regularizada. A polícia conversou com o suposto autor, que se apresentou com o advogado de forma espontânea na delegacia, apresentando o registro da pistola.
O delegado destaca que, nesta etapa, está ouvindo testemunhas para conclusão do inquérito.

Ronda Sc

Idoso fica ferido após acidente em Palmitos

Palmitos – Um idoso de 71 anos teve ferimentos graves após um acidente no início da tarde da terça-feira (26), na SC-283 em Palmitos. A batida envolveu um Fiat Uno, conduzido pelo idoso, e uma Strada, ambos com placas de Palmitos. A batida foi por volta das 14h.

Conforme informações do Jornal Oeste Popular, o condutor do Uno ficou preso às ferragens do veículo e foi desencarcerado pelo Corpo de Bombeiros de Palmitos, com suspeita de fratura no braço esquerdo, cortes na cabeça e pernas. No Uno estavam outras duas pessoas que tiveram ferimentos leves. A condutora da Strada, de 31 anos, não se feriu.

As vítimas foram encaminhadas para avaliação médica no Hospital Regional de Palmitos. A Polícia Militar Rodoviária (PMRv) esteve no local e vai apurar as causas da batida.

Ronda Sc

PRF apreende carro com 1,4 mil desodorantes na BR-163


Dionísio Cerqueira – A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu, na manhã desta terça-feira (26), um carro transportando 1,4 mil unidades de desodorantes sem desembaraço aduaneiro. A abordagem foi na BR-163,em Dionísio Cerqueira.
Conforme a PRF, a carga estava em um Chevrolet Ônix, placas de Minas Gerais e os produtos foram comprados na Argentina. A carga, o veículo foram encaminhados para a Receita Federal de Dionísio Cerqueira.

Ronda Sc


Dilma


Presidente de comissão prorroga em um dia prazo para defesa de Dilma.


O presidente da comissão de impeachment do Senado, Raimundo Lira (PMDB-PB), decidiu nesta terça-feira (26) prorrogar em um dia o prazo para que a defesa da presidente afastada Dilma Rousseff entregue as alegações finais na fase intermediária do processo que a petista enfrenta.
O prazo inicial para a entrega da defesa se encerraria nesta quarta (27), mas agora Dilma terá até as 18h30 desta quinta (28) para entregar o documento. Lira confirmou o novo prazo ao G1 por telefone.
Mais cedo, a defesa da presidente afastada protocolou um pedido ao colegiado solicitando mais dois dias para que as alegações finais fossem entregues.
No documento, a defesa de Dilma alegou que enfrentou problemas para acessar o processo eletrônico no site do Senado que, segundo os advogados, ficou indisponível por dois dias.
Na visão dos advogados da petista, portanto, o prazo para entrega das alegações finais, que deveria se encerrar às 18h desta quarta, teria de ser estendido por mais dois dias.
O advogado de Dilma, o ex-ministro José Eduardo Cardozo, afirmou que o problema no site do Senado impossibilitou o acesso da defesa a documentos “imprescindíveis para análise e confecção das alegações finais” da presidente afastada.
Ao G1, Lira afirmou que, após o pedido de Dilma, conversou com o relator do processo, o senador Antônio Anastasia (PSDB-MG), e decidiu prorrogar o prazo em um dia devido ao problema no site do Senado. Ele disse ainda que o novo prazo não atrasará o cronograma da comissão.
"Dei uma prorrogação de 24 horas para as alegações finais defesa. Mas não vai interferir em nada no cronograma de funcionamento da comissão. Esse prazo vai apenas encurtar 24 horas no tempo disponível para o relator que, inclusive, está no exterior. Já falei com ele, ele concordou comigo. Chegamos à conclusão de que era importante dar esse prazo para que mantivesse o princípio da ampla defesa e evitar qualquer tipo de judicialização", disse Lira.
"O site [do Senado] ficou 36 horas fora para manutenção. Você dá 24 horas porque, dificilmente, nessas 36 horas que ficou fora, se o site estivesse no ar, haveria uma consulta durante 24 horas. 24 horas é para atender o princípio do pleno direito de defesa", explicou o senador.
Lira também divulgou nota para explicar a decisão de prorrogar em um dia o prazo para a defesa de Dilma. Leia abaixo:
Tendo em vista o requerimento da Defesa de prorrogação do prazo para apresentação de suas alegações finais em virtude da suspensão dos serviços do sítio eletrônico do Senado Federal para manutenção programada, que teria prejudicado seu acesso aos autos do processo e, ainda, considerando que:
1. Foi anunciado com antecedência no próprio portal eletrônico do Senado Federal a indisponibilidade momentânea dos serviços para manutenção programada;
2. O sistema permite que os arquivos sejam baixados para consulta no computador do usuário sem necessidade de acesso à internet; e
3. Os sistemas começaram a ser religados, tornando-se novamente disponíveis antes das alegadas 48h de suspensão;
DECIDO acolher em parte as razões da Defesa para conceder-lhe prazo adicional de 24h, até o término do expediente da quinta-feira, 28 de julho, para apresentação de suas alegações finais, restando inalteradas as demais datas de reuniao da Comissão.
Intime-se.
G1

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Bombeiros acham corpo de menino após incêndio em favela de SP



 Os bombeiros encontraram o corpo de um menino após um incêndio atingir barracos da Favela Alba, na região do Jabaquara, Zona Sul de São Paulo, na tarde desta segunda-feira (25). De acordo com a corporação, a vítima, Weliton Roberto Seara, de 11 anos, era cadeirante.
 O menino estava em uma das primeiras residências atingidas pelo incêndio.
Moradores ajudavam os bombeiros. Com baldes, eles recolhiam água do Córrego Água Espraiada, próximo à favela, e tentavam diminuir o fogo. Cerca de 60 homens combateram as chamas. Segundo os bombeiros, o fogo começou a se espalhar pela favela por volta das 15h40. A corporação enviou 18 equipes ao local para controlar o incêndio. Pelo menos 40 casas foram atingidas.
 Segundo o capitão Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros, neste ano já ocorreram 99 incêndios em favelas apenas na cidade de São Paulo. Este foi o segundo incêncio à comunidade neste ano (o primeiro ocorreu em um cortiço em maio e deixou um homem morto).

G1

Tiroteio em boate deixa mortos e feridos na Flórida, EUA

Um tiroteio no estacionamento de uma boate em Fort Myers, na Flórida, no Estados Unidos, deixou ao menos dois mortos e 14 feridos nesta segunda-feira (25), segundo informações da rede CNN. Os disparos aconteceram na área externa do Club Blu Bar and Grill, por volta de 0h30 desta segunda.
A polícia não divulgou detalhes da ação, mas descartou que seja um ato terrorista. Os mortos tinham 14 e 18 anos, segundo a Reuters. O hospital Memorial informou à CNN ter recebido 16 feridos entre 12 e 27 anos.
Uma testemunha disse que ouviu cerca de 30 tiros no local e que acreditava que os disparos tinham vindo de várias armas, de acordo com a Sky News. Porém, os investigadores não sabem dizer se mais de uma pessoa participou da ação.
Um anúncio feito na página no Facebook da boate anunciava a "Swimsuit Glow Party" no domingo à noite. Como não havia o anúncio de que seria exigida identificação, deduz-se que a festa era aberta para todas as idades, segundo a CNN.
A administração do espaço classificou o ato como desprezível. “Nós tentamos oferecer aos adolescentes o que nós pensávamos ser um lugar seguro para se divertir. Havia segurança armada dentro e fora do espaço. A boate estava fechada para que os pais pudessem buscar as crianças quando tudo aconteceu”, afirmou.
Três adultos foram detidos por suspeita de ter relação com o tiroteio. Um deles foi abordado na Avenida Ortiz, que fica próxima da boate. Os investigadores também analisam se um outro incidente ocorrido na Rua Parkway - onde uma pessoa ficou ferida de raspão - tem alguma relação com o tiroteio na boate.
Este incidente é registrado seis semanas depois de um ataque contra uma boate gay em Orlando, também na Flórida, no qual 50 pessoas morreram, o pior massacre da história recente do Estados Unidos.

G1

Dengue


A Dengvaxia, primeira vacina contra a dengue disponível no Brasil, vai custar de R$ 132,76 a R$ 138,53, de acordo com alíquota de cada estado, segundo anunciou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), nesta segunda-feira (25).
A partir de agora, ela poderá ser comprada por hospitais e clínicas particulares. O consumidor, no entanto, deverá desembolsar um valor adicional, que varia em cada estabelecimento, pela aplicação do produto, como explica a agência.
De acordo com o Ministério da Saúde, ainda não há uma previsão de compra para o Sistema Único de Saúde. Serão feitos estudos de custo para a distribuição nacional e, caso seja viável, a vacina poderá ser distribuída de graça aos pacientes. O estado do Paraná, no entanto, já anunciou que deverá comprar 500 mil doses da vacina.
A Dengvaxia é produzida pelo laboratório francês Sanofi Pasteur e é uma imunização recombinante tetravalente, para os quatro sorotipos existentes da doença. Ela poderá ser aplicada em pacientes de 9 anos a 45 anos, que deverão tomar três doses subcutâneas com intervalo de seis meses entre elas.
DENGVAXIA (laboratório Sanofi Pasteur)
- primeira vacina contra dengue disponível no Brasil
- poderá ser aplicada em pacientes de 9 a 45 anos
- não tem 100% de eficácia
- serve para os quatro sorotipos da doença

Na própria bula da vacina, o laboratório informa que a Dengvaxia não protege 100% dos pacientes. Por isso, ela não substitui as recomendações anteriores do Ministério da Saúde.

A aprovação da vacina pelo governo brasileiro ocorreu em dezembro de 2015. Os testes apontaram uma redução de 81% das internações e 93% dos casos graves. Em média, 66% dos pacientes com os quatro sorotipos ficaram imunizados - 2 em cada 3 pessoas, segundo a Sanofi.

A vacina foi produzida com um vírus vivo atenuado e possui em sua estrutura o vírus vacinal da febre amarela, que lhe garante estabilidade. Os testes envolveram 40 mil pessoas em 15 países, em uma pesquisa clínica que resultou em 25 estudos. No Brasil, cerca de 3.500 pessoas de cinco cidades participaram das etapas de testes. 
De acordo com o médico epidemiologista João Bosco, professor da Universidade Federal de Goiás (UFG) que participou dos estudos sobre a vacina, “a forma como a gente vinha fazendo prevenção de dengue era a mesma há anos. É a primeira vez que temos algo diferente”.

A pequena variação de preço se deve a diferenças de alíquotas de imposto em cada estado. A determinação do preço foi feita pelo Comitê Técnico Executivo da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED), composto por representantes dos ministérios da Fazenda, Saúde, Justiça, Desenvolvimento e Casa Civil, sendo que a Anvisa exerce a função de Secretaria Executiva da Câmara.
Os governos estaduais e o federal combatem o vírus com campanhas de prevenção nas residências, pedindo que os moradores evitem deixar água parada. A dengue é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, assim como a zika e a chikungunya.
Adoção pelo sistema público
No mês passado, o governo do Paraná já anunciou que fará uma campanha de vacinação contra dengue utilizando o produto da Sanofi Pasteur. De acordo com o laboratório, o estado deverá receber 500 mil doses -- 1 milhão de vacinas estão armazenadas em São Paulo desde a aprovação.

Para a presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Isabella Ballalai, a vacina deve trazer benefícios do ponto de vista individual, mas a possível adoção da vacina de dengue pelo sistema público de saúde deve levar em conta fatores como a incidência da dengue nas diferentes localidades, a capacidade de se conquistar uma boa adesão e o custo da vacina.

“Com certeza, do ponto de vista individual, a vacina tem benefícios e acredito que para grande parte das regiões onde a doença é endêmica, ela pode ter um impacto”, diz.

Um dos maiores desafios em relação a uma possível vacinação em massa, segundo Isabella, deve ser em relação à adesão. A vacina da Sanofi é destinada a pessoas de 9 a 45 anos de idade. “Esta é uma faixa-etária super difícil de vacinar. Seria preciso avaliar qual a melhor estratégia para a campanha. Não seria um programa de fácil implantação.”

De acordo com o laboratório, a vacinação em adolescentes deve ser o maior desafio. Ricardo Feijó, professor adjunto de Pediatria da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), diz que os jovens não tem propensão a se vacinar, que as maiores taxas de adesão ainda estão entre as crianças. "Ele [adolescente] tem a sensação que é de baixo risco à doenças".

G1

Mais uma arma de fogo apreendida pela PM

 Foi na manhã desta segunda-feira (25)
 Foram três armas de fogo apreendidas em três dias na Capital do Oeste Catarinense. Durante o sábado, a Polícia Militar (PM) apreendeu duas armas.
 No final da manhã desta segunda-feira (25) no bairro Bom Pastor, a Polícia Militar apreendeu mais uma arma de fogo, um revólver calibre .32, que estava com um homem de 40 anos, o qual já possuía grande histórico policial.
 Uma guarnição da PM estava em rondas preventivas pelo bairro, quando na Rua Lauro Muller esquina com a Rua Anselmo Santa Catarina, os policiais avistaram uma caminhonete com condutor em atitude suspeita, e para fazer a identificação do condutor foi feita a abordagem, sendo que, em revista veicular foi localizado sobre o banco, embaixo de uma jaqueta, um revólver Rossi calibre 32 com numeração aparente,  contendo 05 munições sendo, quatro intactas e uma percutida e não deflagrada.
 O homem abordado tem extenso passado criminal (tráfico, furtos, desacato, resistência, desobediência, receptação, porte ilegal de arma, violência doméstica e dano).

Ronda Sc

Aposentados


Governo antecipa parcela do 13º para aposentados
Aposentados e pensionistas do INSS vão receber a primeira parcela do 13º em agosto. O decreto que formaliza a antecipação foi publicado nesta segunda-feira (25) no Diário Oficial da União.

O valor a ser recebido em agosto corresponderá a até 50% do valor do benefício e será paga juntamente com os benefícios do mês. A segunda corresponderá à diferença entre o valor total do abono anual e o valor da parcela antecipada e será paga em novembro.

De acordo com a lei, tem direito ao 13º quem, durante o ano, recebeu benefício previdenciário como aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão ou salário-maternidade. No caso de auxílio-doença e salário-maternidade, o valor do Abono Anual será proporcional ao período recebido.
Aqueles que recebem benefícios assistenciais (Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social – BPC/LOAS e Renda Mensal Vitalícia – RMV) não têm direito ao Abono Anual.


Ronda Sc

Candidato que alegou ter bomba em prova da OAB causou tumulto no RN

O homem que ameaçou explodir uma suposta bomba, que na verdade eram balas de gengibre, durante provas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Salvador, já tem histórico de tumulto na aplicação do Exame da Ordem. Há cerca de dois anos, Frank Oliveira da Costa criou confusão e chegou a rasgar as provas quando participava da avaliação no Rio Grando do Norte (RN). A informação foi passada ao G1 pelo presidente da OAB no estado, Paulo Coutinho. A prova na capital baiana, que seria realizada na Unijorge, foi cancelada por causa da confusão.
De acordo com a OAB Bahia, Frank participou do Exame de Ordem em 14 oportunidades. Oito delas foram feitas na Bahia (duas vezes em 2007, três em 2008 e três em 2009). Em outras seis ocasiões, ele participou do exame no Rio Grande do Norte (três vezes em 2014 e três vezes em 2015).
"A gente conseguiu identificar ele pelas fotos. Há dois anos, ele criou um tumulto nos exames. Ele começou a gritar na sala e a comissão precisou intervir. Ele já entrou na sala gritando. A comissão conseguiu acalmá-lo, mas quando a prova foi iniciada, ele rasgou a prova e saiu gritando", detalhou o presidente da OAB no RN.
Paulo Coutinho acrescenta que, aos gritos, o rapaz reclamava da OAB. "Ele xingava. Ele tinha reclamação contra o Exame da Ordem, em geral", contou. Apesar do incidente, as provas foram aplicadas e não houve necessidade de acionar a polícia.
Segundo a OAB/BA, na quarta-feira (27), o órgão vai se reunir com a Fundação Getúlio Vargas, responsável pela aplicação do exame, para definir uma nova data.
Homem procurou juiz
Frank Oliveira da Costa já tinha procurado a Justiça Federal questionando os procedimentos de avaliação do Exame da Ordem. A informação foi divulgada pelo juiz federal da Bahia, Durval Neto, em post publicado em uma rede social.
O magistrado Durval Neto contou que há duas semanas estava de plantão na sede da Justiça Federal, em Salvador, quando soube que um homem estava no prédio em busca de contato com um juiz.
O magistrado disse que o rapaz estava bastante agressivo e relatava urgência de atendimento aos seguranças locais. O juiz esteve na Unijorge para participar das negociações e que ficou comovido com o que viu. O rapaz responsável disse que somente se entregaria se um juiz federal assinasse uma "sentença" que ele havia elaborado, para com isso "provar" que ele apto a exercer a advocacia.
Balas de gengibre
O candidato Frank Oliveira estava com balas de gengibre presas ao corpo. A informação foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia na noite de domingo (24).
Por causa da ameaça, a prova do exame da ordem em Salvador foi cancelada. O homem se entregou à polícia por volta das 16h50. Segundo testemunhas, o homem já tentou o exame da OAB ao menos 11 vezes. A situação causou pânico e confusão.
De acordo com a SSP-BA, não foram encontrados artefatos explosivos ou armas de fogo com o rapaz. Após depoimento no Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), Frank Oliveira foi levado para exame de corpo de delito no Departamento de Polícia Técnica (DPT). Ele foi liberado em seguida.
Segundo a SSP-BA, ele foi autuado com um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), quando não tem potencial ofensivo, pois não foi encontrado nenhum explosivo ou arma com o rapaz.
Ele vai responder crime com base no artigo 41 da Lei das Contravenções Penais por provocar alarme anunciando perigo existente capaz de produzir pânico ou tumulto. Frank Oliveira pode pegar de 15 dias a seis meses de prisão.
A Unijorge informou por meio de nota que Frank Oliveira da Costa cursou direito há 10 anos na instituição, entre os segundos semestres de 2000 e 2006. De acordo com a universidade, o histórico escolar de Frank é de um aluno de conduta regular, sem qualquer registro de incidente durante o período de curso.



G1



Dilma

A presidente afastada Dilma Rousseff disse hoje (25) que não pretende participar dos eventos dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em uma "posição secundária". Em entrevista à Rádio França Internacional, Dilma afirmou que o evento tem condições de ocorrer de forma tranquila, principalmente se forem seguidos os procedimentos que já haviam sido estabelecidos na sua gestão, como na área de saúde e segurança dentro dos equipamentos onde acontecerão os jogos.

"Eu não pretendo participar da Olimpíada em uma posição secundária, porque ela é fruto de um grande trabalho do ex-presidente Lula e do grande esforço do governo federal, que viabilizou a estrutura do Parque Olímpico e da Vila Deodoro", disse Dilma.

Sobre a preocupação com atentados terroristas durante os jogos, a presidente afastada disse que o Brasil manteve contato com unidades de inteligência de vários países com o objetivo de afastar esses conflitos.


Cenário político
Dilma foi afastada da Presidência da República por 180 dias, no dia 12 de maio, após o Senado Federal aprovar a admissibilidade do processo de impeachment. À Rádio França Internacional, ela disse que "o sistema político brasileiro entrou em colapso por vários motivos", sendo um deles a sessão da Câmara dos Deputados do dia 17 de abril quando, segundo ela, "parlamentares corruptos" proferiram votos contra a corrupção. "A hipocrisia levada ao mais alto grau", disse, sobre a sessão de votação de abertura do processo de impeachment na Casa.
Para ela, a descrença da população atinge a política em geral e não apenas aqueles políticos que devem ser atingidos, à medida em que as pessoas igualam os políticos que têm práticas antiéticas e de corrupção. "Então, essa atividade que é fundamental na democracia passa a ser objeto de um processo de desqualificação, de descaracterização e as pessoas passam a não querer saber de política", disse.
Há ainda, segundo Dilma, um grande surto de misoginia no Brasil e um componente sexista no seu afastamento da Presidência da República. Apesar disso, para ela, as mulheres vieram para ficar no cenário político nacional quando a primeira mulher presidente foi reeleita com 54,5 milhões de votos.
Terra

Suplicy é detido em protesto


O ex-senador e candidato a vereador pelo PT Eduardo Suplicy, 75, foi detido nesta segunda-feira (25) pela Polícia Militar (PM) após protestar contra reintegração de posse na Zona Oeste de São Paulo. Ele foi levado ao 75º Distrito Policial (DP), no Jardim Arpoador. Ele foi liberado às 14h30, após ficar cerca de três horas detido.
Segundo a Polícia Militar, ele foi detido depois que desobedeceu a ordem dos oficiais de justiça de desobstruir a via e teve que ser retirado do local pelos policiais". Suplicy se deitou na rua para impedir a reintegração de posse e chegou a ser carregado por policiais militares. Imagens divulgadas pela deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) mostram o momento em que Suplicy se deita com uma moradora na rua para impedir policiais.
Após prestar depoimento, Suplicy disse a jornalistas que relatou ao delegado ter deitado no chão para evitar confronto entre policiais e os moradores. “Havia um grupo de policiais militares avançando com escudos e uma escavadeira que estava avançando logo atrás, e do outro lado estavam os moradores, pelo menos 80", afirmou.
"Começou a haver um encontro daquelas pessoas e os policiais. Eu, então, fiquei com receio de que pudesse haver uma cena de violência quase que incontrolável, então eu falei: ‘Vou me deitar aqui para prevenir e evitar qualquer violência’, E foi isso que aconteceu."
Segundo o delegado Gilberto de Castro Ferreira, Suplicy assinou um termo circunstanciado (um tipo de boletim de ocorrência para crimes sem potencial ofensivo) e vai responder por desobediência.
Ele disse ter considerado que não houve excesso da polícia. "Não acredito que houve abuso [policial] porque eu próprio disse a eles: 'Se quiserem, me levem'." Ele só se queixou da maneira como os policiais o pegaram. "Disse: 'Assim vocês vão quebrar meu braço'. E eles diminuíram a força."
Logo após sua prisão, Suplicy afirmou em sua página do Facebook, por meio de sua assessoria da imprensa, que "a truculência da Polícia Militar do governo Alckmin é inaceitável. Se fazem isso com um ex-senador da República, imagine o que sofre a população que tanto precisa de apoio".
Suplicy disse que conversou com os PMs na viatura, a caminho da delegacia. "Perguntaram a mim eu disse que tenho 75 anos, que ainda hoje de manhã, 6h45, eu tinha feito a minha aula de ginástica. Me mantenho em boa forma, e dos 15 ao 21 eu treinei boxe, participei do campeonato da Gazeta Esportiva, e procuro me manter sempre em boa forma. Se necessário for, eu sei como fazer", disse, rindo.
Disse que não apresentou resistência, e que lembrou de Jesus e de Mahatma Gandhi, pela não-resistência. "Mas eu continuo um grande discípulo da não-violência."
Outros presos
Além do petista, mais duas pessoas foram detidas e levadas à delegacia. O cantor Supla, filho de Suplicy, afirmou no Facebook que seu pai está bem. "Quero avisar a todos que o meu pai está bem...acabei de falar com o delegado e o meu próprio pai! agradeço a preocupação e o carinho de todos!", disse.
O ouvidor das polícias, Júlio César Fernandes Neves, foi à delegacia acompanhar a ocorrência. "Nós estamos só preocupados com a integridade física do senador, por isso nós estamos aqui", disse.
Desde o início da madrugada desta segunda, moradores realizam protesto contra reintegração de posse de terreno na Cidade Educandário, na região da Rodovia Raposo Tavares. Ao todo, são 350 famílias que ocupam uma área que pertence à Prefeitura de São Paulo. Suplicy foi secretário de Direitos Humanos da cidade de São Paulo até abril deste ano quando deixou o cargo para disputar vaga na Câmara municipal.
Governo critica
Em nota, a Secretaria da Casa Civil, do governo estadual, disse que “lamenta que o ex-senador Eduardo Suplicy tenha aproveitado a fragilidade de famílias para tumultuar uma reintegração de posse em cumprimento a uma ordem judicial solicitada pela Prefeitura de São Paulo, dona do terreno”.
Segundo a pasta, já tinham sido realizadas três reuniões prévias e parte das 400 famílias já havia se retirado da área. “O ex-senador Eduardo Suplicy insistiu na obstrução da via mesmo após negociação. A oficial de Justiça Vilma Martins Coelho (funcionária do Tribunal de Justiça de São Paulo) deu ordem de prisão ao ex-senador.”
A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que “policiais militares do 3º BPChoque e do 16º BPM/M atenderam a ocorrência" e que "manifestantes obstruíram a via com barricadas e atearam fogo em um ônibus". "Um policial militar ficou ferido por estilhaço de bala de arma de fogo".
"A PM informa ainda que o ex-senador Eduardo Suplicy desobedeceu a ordem dos oficiais de justiça de desobstruir a via e teve que ser retirado do local pelos policiais. Ele foi encaminhado ao 75º DP”, diz nota da secretaria.
Haddad
O prefeito Fernando Haddad (PT) disse nesta segunda que foi procurado no domingo (24) para interromper a reintegração de posse, mas que não pôde atender ao pedido porque a área ocupada é de risco.
"Liguei para o subprefeito, disse a ele para ponderar sobre a oportunidade da reintegração, mas depois eu recebi um telefonema do secretário de Negócios Jurídicos dizendo que consultados, os engenheiros que avaliam risco entenderam que não havia como manter naquela barranqueira as famílias ali, que se não fosse cumprida a ordem judicial qualquer advento: solapamento, desmoronamento, ia ser imputada a responsabilidade para a Prefeitura, que as famílias não poderiam continuar lá por ser uma área de risco bastante importante", disse Haddad.
"Hoje [segunda] pela manhã nós encaminhamos os dois secretários ali, tanto o Medeiros [coordenação de Subprefeituras] quanto o Barreirinhas [negócios jurídicos], para informar as famílias sobre esse laudo técnico dos engenheiros. Nós fizemos todo o esforço para eventualmente adiar ou suspender, mas não havia como tomar essa medida em função do grave risco que estava ocorrendo ali. Não consegui falar com o Suplicy", completou.
Haddad disse que recebeu um telefonema do secretário da Segurança Pública Mágino Alves. "Ele me informou do ocorrido. Ele queria informar do que tinha acontecido dizendo que estavam alinhados conosco para evitar qualquer tipo de conflito com a comunidade", disse.
O secretário da coordenação das Subprefeituras, Antônio Carlos de Medeiros, afirmou, no entanto, que o "juiz e a PM estavam absolutamente inflexíveis".
Protesto
Os moradores atearam fogo para tentar impedir a aproximação do oficial de Justiça e de policiais militares que estavam no local. Um ônibus foi colocado na via pelos moradores. Mais tarde, o veículo foi parcialmente incendiado, mas as chamas já foram apagadas.
Às 8h, a tropa de Choque, da Polícia Militar, estava no local e a situação ficou tensa. Policiais Militares jogaram bombas de gás lacrimogêneo e de efeito moral e moradores atiraram pedras.
A mãe de um morador de 22 anos detido e levado para o mesmo distrito policial de Suplicy afirmou que o filho não estava armado. "O choque falou que tem vídeo dele apontando arma contra os policiais. Quero ver esse vídeo", disse Valdirene Aparecida de Carvalho, auxiliar de limpeza, 38 anos.
De acordo com a Prefeitura, os moradores foram cadastrados para receberem o auxílio bolsa-aluguel.
"A área ocupada na Rua Carlos Faria é municipal e apresenta risco elevado de desabamento, o que inviabiliza construção de moradia popular. A Defesa Civil do município estudou a possibilidade de retirar apenas parte dos barracos, mas concluiu que isso colocaria os demais barracos em risco, por causa da fragilidade estrutural do conjunto. A reintegração de posse é uma determinação judicial e os moradores foram avisados previamente sobre a desocupação. Ao todo, 211 famílias residem no local e já estão cadastradas no programa habitacional da Prefeitura de São Paulo.

Uma equipe do Serviço Especializado de Abordagem social (SEAS) está no local para encaminhar as pessoas que tiveram interesse para os serviços da rede socioassistencial. As famílias interessadas nos serviços, como a inclusão no Cadastro Único para programas sociais do Governo Federal e encaminhamentos para Centros de Acolhida, também podem procurar espontaneamente o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Butantã na Avenida Junta Mizumoto, 591.", diz nota da Prefeitura.

G1